sábado, 1 de junho de 2019

MEMÓRIAS...








               As memórias do que fomos e do que somos,
               das viagens e travessias que fizemos,
               ficam para sempre tatuadas na nossa pele.
               São aquilo que nos define...

               São como um perfume que não esquece,
               como uma fome que não passa,
               como uma rosa que não murcha,
               como uma dor permanente que nos acompanha.

               As memórias... somos nós.
               E as memórias não devem ser esquecidas!





a ouvir... 
Pat Metheny - «Not to be forgotten»

26 comentários:

  1. Somos feitos de memórias, boas ou más.
    Corpetes e rosas vermelhas fazem parte das boas, decerto.

    Beijo, Clara.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Maria Eu,

      Verdade!
      Sim, fazem parte das boas, claro! E se queres que te diga, sempre que olho para esta foto ou para ele (corpete) abre-se-me um sorriso no rosto e no coração.


      Beijos com sorrisos 🌹
      (^^)

      Eliminar
  2. Somos as memórias que temos
    Se não temos, não somos

    ...e há tanta gente que deixou de ser

    (apetecia-me, num repente
    perguntar-te porquê o corpete
    mas... esquece,
    basta-me saber da rosa)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rogério,

      Mas podes perguntar...
      Tanto o corpete como a rosa foram presentes de um aniversário talvez de há uns 5 anos atrás, já não posso precisar.

      Disseste, da outra vez...

      «A memória
      gravo-a em mim
      na alma
      que é uma espécie de jardim»

      ... e eu gostei tanto dessa analogia que a quis recordar hoje aqui contigo.


      Beijinhos de memória boas
      (^^)

      Eliminar
  3. Sobre memórias me faz lembrar uma cronica de um poeta querido que a divide em dois tipos _as sem vida e as com vida.E explica_as 'sem vida' são guardadas numa caixa com laço e por qualquer motivo desamarramos o laço e lá estão elas_ nossos documentos,nossa agenda escolar ,nossas cartinhas de amor _as com vida não ficam quietas dentro da caixa,vivem voando como pássaros_e aparecem de surpresa e nos enche de emoção,nos faz rir ou chorar.São aquelas memorias que ficaram grudadas na alma_voce diz bem "as memorias somos nós" é aquele cheirinho do pão na padaria que lembra a avó ,aquela paisagem através do carro que vem a cidade da infância ...
    Mais ou menos assim, Clara. Que nome lindo o seu! :))
    Obrigada amiga pelo carinho, de sempre.
    Voltando para ver os amigos em seu cotidiano de memórias,como o lindo corpete e a rosa.
    Bom domingo, boa semana. Beijim

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Lis,

      É tão bom ter-te de volta! 😊
      Li e reli essa interessante classificação das memórias. São precisamente essas memórias "com vida" as que merecem ser vividas de novo... porque (e isto é um velho chavão) recordar é viver!


      Beijinhos domingueiros com tudo de bom para Ti
      (^^)

      Eliminar
  4. As memórias são realmente uma dor que nos acompanha, nem SEMPRE uma boa companhia...

    Ótimo domingo ⛅

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa,

      Nem sempre é fácil lidarmos com algumas das nossas memórias.
      Brindemos com sorrisos as que nos fazem bem para afastarmos as outras.
      Ver fotografias de momentos felizes, por exemplo, ajuda! 🙂


      Beijinhos "Kodak"
      (^^)

      Eliminar
    2. As memórias dos tempos felizes ainda são mais dolorosas.

      Tenho me desfeito de quase todas as fotografias.

      Continuação de um domingo feliz 🌻

      Eliminar
    3. Estou um pouquinho espantada que os comentários não sejam logo visíveis. Houve razão para isso???

      Eliminar

    4. Teresa,

      Entendo quando dizes que as memórias dos tempos felizes ainda são mais dolorosas... entendo porque sei como a saudade magoa.

      Eliminar

    5. Ah... e quanto aos comentários, isto está ainda numa fase experimental.

      Aqui há atrasado em conversa com uma colega minha a propósito das vantagens e desvantagens de ter os comentários moderados, ela dizia-me que os tinha assim para que quem comentasse tivesse a percepção de que o comentário que deixou foi lido. Esse argumento, para mim que nunca gostei de encontrar activada nos blogues onde comento a moderação de comentários, até me fez sentido... por isso estou a fazer a experiência.


      Obrigada pelo feedback...
      Beijinhos num Domingo quente
      (^^)

      Eliminar
  5. "As memórias... somos nós."
    Gostei, Clara. Gostei da foto e das palavras.
    Somos feitos de memórias. Sem elas seriamos invólucros vazios.
    Que o teu baú das boas memórias esteja bem mais pesados que o das más. Que as temos. Todos.
    Beijinho com sabor a mar.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa Dias,

      Temos sim, de ambas.
      Cabe-nos também a nós esforçarmo-nos por construir memórias boas para que a balança acuse mais peso para o lado bom! 😊


      Beijinhos bem pesados
      (^^)

      Eliminar
  6. Memórias são como as rugas da alma, vão deixando marcas, umas vezes boas, outras nem por isso, mas temos por tendência guardar apenas as boas. Eu pelo menos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. GM,

      Dizes bem, são mesmo rugas da alma...
      Devemos por isso também ter orgulho nas nossas rugas! :)


      Beijinhos sem botox
      (^^)

      Eliminar
  7. As memórias somos nós, como tu dizes. Nem sempre as recordamos com prazer, algumas que nos trouxeram tristezas, mas que também ficam connosco, mas outras que nos trouxeram felicidade e que sabe bem voltar a emergi-las !

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ricardo,

      Lembrei-me agora do Malato quando costuma dizer a propósito de algum lugar... «ai... eu já fui tão feliz em xxxx...»
      Podemos sempre regressar aos locais onde já fomos felizes... e por isso podemos sempre também regressar às memórias felizes e até voltar a revivê-las.


      Beijinhos Methenizados
      (^^)

      Eliminar
  8. Sem estar sempre a pensar no passado é bom não esquecermos para não repetir erros.
    Beijinhos com memória

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Pedro,

      Isso até numa perspectiva mais abrangente em termos de toda a humanidade!
      Mas a nível individual, pobres dos que não têm memória!


      Beijos... sem esquecimentos
      (^^)

      Eliminar
  9. As memórias são o que nós quisermos, até podemos alterar o passado! :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Leo,

      Bem... alterar as memórias do passado será mais algo tipo "memórias daquilo que não vivi mas que gostaria de ter vivido"?
      Com essa deixaste-me pensativa...


      Beijinhos anacrónicos
      (^^)

      Eliminar
  10. «As memórias... somos nós», tal e qual!
    Que poema tão maravilhoso *-*

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Andreia,

      Acredito mesmo que sim... e por isso espero que nas tuas reflexões do 10º aniversário consigas partilhar também um pouco das tuas memórias.


      Tão bom ver-te aqui À Flor da (minha) Pele
      (^^)

      Eliminar

Por favor deixem aqui os vossos comentários pois são eles que valorizam cada publicação. 👍
Os comentários aqui deixados apenas com intuito publicitário serão eliminados.